terça-feira, 13 de março de 2012

Viver sem se aborrecer é possível?

pressão-alta

Hoje passei mal. Para falar a verdade, desde sexta-feira que não venho me sentindo muito bem. Vim enrolando com a barriga, fingindo que nada sentia, até que não deu mais e acabei no Pronto Socorro.

O laudo não foi definitivo, mas como senti dores na nuca e pescoço, movimentos travados, próximo à cervical e a pressão sanguínea, um tanto alterada, acabei ficando no Repouso, por umas duas horas e meia, no soro, com medicamentos. Melhorei. Fui pro trabalho. Me poupei. Me pouparam.

Coloquei-me em observação. A barriga também não está lá grandes coisas. Talvez seja a famosa virose que sempre costuma aparecer, sem avisar… O calor de matar não facilita as coisas. Ainda mais nos alimentando na rua, todos os dias, sempre corremos mais riscos!

Segundo a médica que me atendeu, o quadro também pode ter sido causado por estresse, carga grande de trabalho, aborrecimentos…

Enquanto estava no soro, fiquei refletindo sobre os meus últimos dias e concluí que, realmente, tenho me aborrecido com pequenas coisas do dia-a-dia. Mas a questão é: quem consegue viver sem se aborrecer com nada?

Dificilmente você conseguirá levar uma vida sem aborrecimentos e sem estresse! É claro que em algumas profissões ele está mais presente, como as minhas: professora e pedagoga.

A rotina dentro de uma escola é bastante desafiadora, porém igualmente estafante. Lidar com seres humanos nem sempre é muito fácil. A convivência sempre exige mediação e bom senso. Algumas vezes o conflito é inevitável.

Outras vezes, o estresse vem do dinheiro insuficiente para os compromissos mensais. Os salários nem sempre são os mais justos!

É o namorado que termina o namoro… É o trânsito infernal todos os dias na volta para casa… É o ralo que está sempre entupido e o chuveiro que novamente não quer esquentar! É a música alta na casa do vizinho… O carro que não quis pegar!!! 

Não nos falta motivos para fazer nossa pressão subir, não é mesmo? E a nossa saúde se rende, e lá vamos para o hospital.

Felizmente tive a sorte de ser prontamente atendida no Hospital Praia do Canto, em Vitória. Caso contrário, talvez estivesse ainda esperando atendimento num hospital particular ou público qualquer, como acontece com outros tantos brasileiros por aí…

Pensando bem, sou uma pessoa de sorte.

Já estou me sentindo bem melhor!

hipertensao

12 comentários:

  1. Que bom que não foi nada grave, querida!!!!!!!! Se Cuida!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ignêz. Já estou me cuidando. Valeu o carinho.

      Excluir
  2. É amiga...hj tenho claramente a certeza de que não é possível viver no limite. Infelizmente, nos educadores temos o péssimo hábito de olhar pelo outro (aquele aluno que passa tanta dificuldade...) e não olhar por nós e, qdo nos damos conta já chegamos ao pronto socorro e sempre ouvimos esse diagnóstico...é estresse. Daí começamos a refletir e encontramos tantos motivos para o "bendito" que desistimos de pensar nele. Mas as reações vão ficando mais presentes e mais aparentes e então chega a doença, primeiro física e depois neurológica, psicológica, psiquiátrica...foi o meu caso. Mas graças a Deus tive uma família pra me ajudar a tomar as decisões necessárias com mais coragem e poder seguir meu caminho e ajudar a quem passa pelo mesmo problema, como minha prima, que está a ponto de abandonar tudo o que já conquistou, inclusive após concluir o mestrado. Enfim...desejo suas melhoras, sei da sua força e coragem e sei que não passará por nada além de um pequeno mal-estar...mas pense sempre em sua saúde em primeiro lugar, nada de trabalhar sentindo-se indisposta. Bjos grandes

    Regina Natal

    ResponderExcluir
  3. Que bom que melhorou....calma, respire fundo e pé na tabua....Bjao

    ResponderExcluir
  4. Somos tão frágeis que nem percebemos...

    Bom respirar fundo. O tempo todo!

    ResponderExcluir
  5. Impossivel viver sem nos aborrecermos. Que sentido teria viver se não dessemos importancia a nada a ponto de não nos iritar?
    O importante é ser na medida certa.
    Eu sempre que me irrito, explodo de forma a descarregar a carga negativa que acumulei. Nem que seja necessário procurar um comboio e ggritar, como me sugeriu a minha médica.

    Beijinhos e cuide de si. Grite ;)

    ResponderExcluir
  6. Fiquei sabendo hoje... Espero que consiga descansar um pouco. Estamos com muito trabalho nesse início de ano. As vezes penso que nem tive férias. Outro dia uma professora quase desmaiou no laboratório de informática, o calor, as crianças anormalmente agitadas...
    Viroses, estresses... tomei a decisão de não me deixar afetar esse ano, apesar de ser impossível. Se precisar de qualquer coisa é só me chamar, nem que seja para um abraço.

    Bjim
    Rita Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abraços são sempre bem-vindos! Eles aquecem a alma! Obrigada, querida.

      Excluir
  7. Que bom que você melhorou! Mas fico com a sua pergunta latente: "Viver sem se aborrecer é possível?" Também tenho uma rotina super estressante, andei caindo pela rua sem saber o por que, sem tropeçar, sem dar tontura, nada, só sei que caí quando estou levantando. Preocupada com tal fato, que aconteceu por duas vezes, quase três, fui ao médico, e o diagnóstico: estresse. Conselho do médico, põe o pé no freio senão o corpo não aguenta daí só diazepan para dar conta. E... estou aí na atividade, sem freio sem nada, na esperança que um dia essa carga de trabalho, responsabilidade e aborrecimentos um dia diminuam, até porque acabar não vão mesmo. Bjs!!!

    ResponderExcluir
  8. Se cuida... Não dá para enumerar em situações graves, médias, amenas por tudo que passamos no dia a dia. Se for vivido com intensidade não tem peso. Tem que se ter cautela e cuidado com a gente sempre. "Relax..." Para quem está aposentada (infelizmente temos que prosseguir trabalhando) procure se manter mais tranquila e com menos preocupação. Se é possível não sei.
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. É tia Denise, sei bem quando o assunto é stress. Acho q quando nasci já saí estressada da maternidade rs. Quase tudo me aborrece ou me incomoda, mas tento ser paciente em muitas vezes pra não ser rotulada com " a cri cri " não sei se vc me entende. Deixo passar muitas situações, acho q é por isso que fico estressada e chateada, enfim, temos sempre q encontrar uma saída para tais situações. Beijos e não se deixe abater,se cuide, amiga seja forte. Nós Denises não nos abatemos por pouco.Nos dias de hoje...Estresse pouco é bobagem!
    Bjs,
    Denise

    ResponderExcluir
  10. Nossa! Graças a Deus que foi só um susto né?
    Nos dias de hoje as pressões são diárias e de todos os lados. É no trabalho, na família, nas amizades,namoro, enfim, em tudo e o tempo todo. Alguns exemplos simples: na família – se está namorando, quando vão casar, se casam, quando terão filhos, se tem, quando terão o próximo? No trabalho: se entrou na empresa, quando vai subir de cargo, se subiu, quando será a próxima promoção? Se foi promovido e o salário compensa? E por aí vai. Não paramos nunca? Sim, paramos no dia que nosso corpo diz chegaaaaa! Ai dá no que deu...

    Não entrar nessas pressões, não se sentir na obrigação de supri-las é quase uma arte. Mas você, eu nós temos que faze-la ser ao menos suportável! Entende, cuidado com as pressões e coma a pressão. Combinado?

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade única dos seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião do blog.