domingo, 21 de agosto de 2011

Quem te “cutuca”?

cutucar-alguém-no-facebook
 
A palavra já estava quase em desuso. Eu praticamente não usava mais. Os mais novos nem sei se chegaram a usá-la. Até os criadores do Facebook definirem uma roupagem nova para o termo. Uma nova releitura, como diriam, na linguagem da moda. Estamos falando de “cutucar”.

 

Cutucar: v.t. Dar sinal a, tocando com o dedo, o pé ou algum objeto, em advertência muda; catucar.

cutucar facebook
 
Como de surpresa, apareceu lá no canto direito da página de todos os usuários. Nem precisa ser seu “amigo”… É só clicar que a pessoa escolhida recebe a sua “cutucada”. E qual é a função dessa ação tão singular?
 
Originalmente, ninguém sabe ao certo. Não foi ideia nossa,  nascida aqui no Brasil. Portanto, entender o verdadeiro objetivo, que passou pela cabeça dos seus criadores estrangeiros (poke), é coisa que nem arrisco supor! Se foi para chamar a atenção, algo saiu errado, porque não chama… A cutucada é discretíssima! Quase passa despercebida…
 
Parece algo tipo um “Oi”, mais específico, meio bobo. Ou talvez traga alguma mensagem subliminar… Tem gente que dá um caráter quase erótico às cutucadas. No fundo, cada um interpreta como quer e de acordo com os seus próprios pontos de vista.
 
Eu, particularmente, à medida que uso mais essa rede social, percebo que as cutucadas podem, até, definir personalidades. É verdade!…
 
Tem gente que me cutuca todos os dias. E eu sempre retribuo a cutucada. Pronto. Estão aí expressas as personalidades dos meus cutucadores compulsivos e a minha: que não sei ficar sem retribuir...
 
Tem gente que nunca cutuca de volta, mesmo que se insista, insista, e torne a insistir. Estariam elas demonstrando, também, um traço de personalidade? Arrogância, indiferença, frieza?
 
E o que dizer daquele rapaz, num depoimento tão emocionado, num vídeo postado há pouco tempo atrás na internet, que entre soluços, se lamentava porque ninguém o cutucava no Facebook? Coisa muito séria... Cutucar passou a querer dizer lembrar de mim, olhar para mim, gostar de mim.
 
A verdade é que passei a encarar o “Cutucar” do Facebook de outro jeito, desde que assisti este vídeo e compartilhei a dor daquele rapaz.. Passei a observar as investidas que são feitas com esse recurso.
 
E, como curiosa que sou, sobre o comportamento humano, aqui estou eu pensando e escrevendo minhas reflexões sobre este assunto. Já que não há um objetivo determinado, vamos dar asas à nossa imaginação!
 
amigo_virtual
 
Reparei que gosto de ser “cutucada no Facebook”. Pode parecer engraçado, mas quem não gosta de ser notada e receber um afago? Pois é assim que quero passar a compreender as cutucadas, de acordo como o meu jeito de encarar a vida: carinhos virtuais.
 
E eu assumo publicamente: receber carinho é muito bom e eu gosto muito. No mais, qualquer outra intenção não encontrará em mim qualquer resposta!
(Dedico esse post aos amigos Fred, Juliano, Paulo e Luiz. O motivo é óbvio!)

2 comentários:

Os comentários são de responsabilidade única dos seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião do blog.