quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Reforce o positivo

o que te encanta(Imagem: Reprodução)

Reforce o comportamento que você deseja perpetuar.

Simples e dá melhor resultado. Experimente.

Mude o foco.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

G.R.E.S Paraíso do Tuiuti, vice campeã!!!! Fizeram história.

2 lugar(Foto: GRES Paraíso do Tuiuti)

 

A gente até sabia que poderia ser, mas não queria acreditar! Afinal, o desfile impactante da Tuiuti foi inesquecível. Resumiu o clamor do povo brasileiro. Mas como saber o que pensariam os juízes? Brasil dividido: de que lado estariam?

Mas veio o resultado… Perder só para a poderosa Campeã Beija-Flor que, também, veio lá vestida de protestos. Um Carnaval diferenciado reflexo do contexto que vivemos e que, com certeza, também marcou época na história.

Carnaval sempre foi lugar de rebeldia. Engana-se quem acredita que é pura alienação. Basta acompanhar mais de perto a folia.

Palavra de foliã apaixonada e cidadã preocupada com as coisas que acontecem no país…

foi golpe(Foto: Reprodução)

Mas ainda assim…

PATOS(Créditos na imagem)

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Principal resumo da 1ª noite do samba no Rio

‘Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?

Tuiuti(Imagens: Reprodução Twitter)

DVzyX6tXkAAq_2o

DV1JO1kWkAESWT3

DV1IikDW0AICev3

G.R.E.S. Paraíso do Tuiuti mandou seu recado.

E o mundo viu. E ouviu.

Viva a coragem desses brasileiros!

Está na hora de acordar.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Eu confio!

Navegando pelas redes sociais, deparei com este post na página de uma amiga:

desconfiança

Tudo a ver comigo. Podem chamar de desconfiança simplesmente, mas eu diria que é um certo sexto sentido, baseado nas nossas experiências adquiridas pela vida.

A gente vai ficando meio craque… Bate o olho mais atentamente, conversa um pouco, observa o jeito, os trejeitos e… logo percebe o que virá! É batata.

Quando mais vividos somos, menos nos decepcionamos com o ser humano, pois já conseguimos prever suas ações e reações. Elas se mostram mais claramente nas entrelinhas, que para nós, se tornam mais perceptíveis, com o passar do tempo.

E é por isso que eu dou crédito ao meu sexto sentido, ou à minha intuição, como quiserem chamar. Porque tem fundamento. São anos e anos de prática lidando com seres humanos… A gente vai aprendendo. Na marra.

domingo, 28 de janeiro de 2018

Domingo com ressaca em Itapoã

ressaca

Hoje o mar de Vila Velha estava de ressaca. Forte, com ondas altas e cheio de correntes submersas. E, no pouco tempo em que fiquei pela praia, nesta manhã, três pessoas precisaram ser retiradas do mar pelos salva-vidas. Graças a Deus, tudo bem com elas. Só o grande susto.

A coisa estava complicada. Dia de sol, manhã de domingo, praia lotada e mar de ressaca. Combinação bombástica!

E as pessoas teimavam em se arriscar. Mal acabava uma operação de salvamento, lá iam outros festivos banhistas em direção ao turbulento oceano. O salva-vidas apitava e fazia gestos, mandando a galera sair. E com que dificuldade! Era mesmo difícil livrar-se da correnteza e furar uma onda atrás da outra, para voltar em direção à areia…

Mas, logo depois, começava tudo de novo. Lá iam novos banhistas arriscarem-se! Gente desmiolada ou sem amor à própria vida. Hoje, os guarda-vidas tiveram muito trabalho.

Cheguei a conversar com um deles, que me relatou sobre a falta dos equipamentos necessários, para realizar os salvamentos com maior segurança. Segundo ele, a Prefeitura não disponibilizou. Gelei! Mais um motivo para eu ficar bem quietinha na areia. Mas só que lá também não era seguro…

Cada vez mais fortes, as ondas foram chegando e de repente… zupt! Uma delas nos pegou de surpresa, levando sua “espuma” até onde estávamos! Levantei minha bolsa, no reflexo, para não molhar meus pertences. Consegui! Mas minha amiga não teve a mesma sorte. A mistura de água e areia pegou em cheio nas suas coisas. E lá dentro estava seu celular novinho… Nem preciso falar mais nada.

Daí tudo perdeu a graça. Mar agitado. Pessoas arriscando-se. Salva-vidas tensos. Maré subindo… Nada mais a fazer, nenhum lazer, nem relaxamento… Vim para casa. E sem molhar os cabelos. Só os pés.

A ironia da vida é que a temperatura da água estava maravilhosa. Morninha… Aff!

ressaca1

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Férias em casa


Morar perto da praia tem suas vantagens. Especialmente em época de férias. Não se precisa viajar para curtir o lazer e refrescância que o mar nos proporciona. No meu caso, basta andar meio quarteirão e atravessar a rua. Tibum!!!

Horário de praia, para mim, é logo pela manhã, até, no máximo, meio-dia. Ainda contando com os benefícios do horário de verão, com uma hora de raios solares antecipados… Um almoço leve e uma deitadinha no sofá da sala, com direito a uma bela cochilada. Quer melhor?

Gosto de ficar em casa. De verdade. Trabalho tanto, durante o ano, fico tanto tempo fora dela que, durante as férias, curto o meu apartamento e o conforto simples que ele me proporciona.

Acordar na hora em que acaba o sono, cedo ou tarde, e dormir quando o sono vem. Sem tempo certo… Só se aninhar na cama macia com o ar condicionado ligado… Afinal, trabalho duro para pagar a conta da luz. É justo.

Ir para a praia, pegar um Sol, ficar bronzeada, cansada de furar ondas e fazer exercícios dentro d’água… Afinal, a água é fria e a gente precisa se mexer para aquecer. Grave defeito dessas águas daqui.

Depois do almoço cochilar, ver filmes e fazer uma coisa ou outra, pois quem é dona de casa sempre tem o que fazer… Possivelmente também uma tarde no shopping, um cineminha, um passeio no calçadão. E a academia no início da noite.

Férias maravilhosas que, por sinal, já estão no fim!

Energias recarregadas.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Domingo é dia de cinema…

Mas que dá uma saudade na gente – ah – isso dá!

Foi um “Rio” que passou na minha vida… Na nossa vida.

Imagem1

Imagem4

Imagem6

Imagem7

Imagem14

Imagem11

Imagem13

Imagem15

Imagem19

Imagem21

Imagem28

Imagem33

Imagem32

Mas o tempo e o capitalismo são implacáveis.

Imagem3

Só nos resta lamentar e sentir saudades…


(Fonte: PowerPoint produzido por André Mendonça, com imagens enviadas por Denílson Ferreira - Rio e Brasília - Fevereiro de 2011)


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Ser feliz é...

Passando só para lembrar...

(Créditos na imagem)
E tem coisa que a gente não pode deixar pra trás. A gente mesmo, por exemplo.

Busque ser feliz. Sempre.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Férias forçadas


Comecei o ano sem computador. Férias de blogueira forçada. Não foi intencional. Restou-me improvisar (e sobrou mais tempo para a praia). Aliás, é o que a gente faz nessa vida: improvisa-se. 

Os dois primeiros dias foram desesperadores. A vida gira em torno da máquina. A partir do terceiro, o coração vai se apaziguando, embora você saiba que é um problema que tem ser resolvido... Mas computador custa caro!

Incluir a compra de um bem de alto custo, no início do ano, sem planejamento, não é fácil. No meu caso, nem é possível. Parti para outra alternativa: empréstimo. E estou aqui, com um notebook que não é meu, mas está ajudando. E muito.

Estou de volta. Aos trancos e barrancos, mais um obstáculo vencido, ainda que parcialmente. Por hora, basta-me. Voltou-me a folha virtual em branco para escrever. E a possibilidade de publicá-la. Bom demais.

Continuemos daqui.

Bom dia. Boa semana.