sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Sair ou não do armário? Eis a questão…

mateus-solano-amor-a-vida-42675

Sair do armário. De repente acontece. Uma bomba na família. Respingos para todo lado. Precisa que seja assim?

Ontem, assistindo ao capítulo da novela “Amor à Vida”, pude testemunhar um show de interpretação do ator Mateus Solano, quando seu personagem Félix, que é homossexual, é desmascarado na frente da família e a verdade de sua orientação sexual veio à tona. Na trama, ele é casado e pai de um adolescente. Fotos comprometedoras de Félix e seu amante são expostas para todos e o circo está armado...

É novela, mas poderia ser vida real. Talvez você conheça um caso parecido. Ou dois. Ou dez.

E daí a gente conclui, como é difícil a vida do homossexual, com tantas barreiras, para apenas viver o seu jeito de amar!

De repente uma atração inesperada por uma pessoa do mesmo sexo. E vira fascinação. E vira sentimento. E vira paixão, que vira amor.

Fazer o quê?

Encontrar o primeiro armário aberto e se enfiar dentro dele? Lá dentro estão vários casaquinhos pendurados: de coitadinho, de infeliz, de camuflado. Todos servem. Mas é preciso mesmo usá-los?

A sociedade julga e condena, do lado de fora. Enrustir para sobreviver é a preferência da maioria. Daí, de vez em quando, surgem as surpresas... E o espanto é geral.

Tudo isso seria muito mais simples se reconhecêssemos a nossa humanidade. Somos uma das espécies que fazem sexo por prazer, não apenas para procriar. Ora, sentimos desejos, queremos carinho. Somos, querendo ou não, livres para amar. A primeira surpresa é, em verdade, a nossa...

Descobrir o amor por um igual é assombroso, vai na contramão do esperado. Mas, acredite, acontece. E é nessa hora que a sua identidade fará toda a diferença. Não aquele número no documento, mas quem você é, como resultado de todo sua história, do acúmulo de experiências vivenciadas, dos valores construídos. Somente você mesmo saberá se o melhor é ficar dentro ou fora do armário!

Eu já dei o meu palpite. Enquanto a sociedade não estiver preparada para aceitar a diferença (e nós todos somos mesmo diferentes!), o melhor é ficar dentro do armário... Mas não sozinho! A gente leva alguém para lá, pois ficar no escurinho e quentinho, é bem melhor. Seja hetero ou seja gay.

Viva a liberdade para amar e ser feliz!!!

E quem não concordar que se tranque no seu baú de casmurrices e jogue a chave fora...

sair do armário

O homossexualismo é observado em mais quatrocentas e cinquenta espécies, mas a homofobia é observada em apenas uma...

Adivinha qual?

6 comentários:

  1. E ai Felix sai ou nao sai do armario - Rayssa Baptista Moreira 7° A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos assistir a novela para descobrir, não é mesmo?

      Excluir
  2. meu pai e minha mãe sempre me orientaram para respeitar e compreender as diferenças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta é, sem dúvida, a melhor educação a ser dada. Parabéns para eles! E para você que aprendeu a lição. :)

      Excluir
  3. Ryann Castro Amorim5 de agosto de 2013 22:57

    Meus pais sempre me ensinaro tbm a respeitar as diferenças.. Deus nos criou pra ter livre arbitrío então nos escolhemos fazer da nossa vida oq queremos más a vontade De Deus meso é q nós fossemos do sexo q nos nascemos e q n mudassemos.. Más ta ai Bom comentário Denise e ótimo Blog vo continuar a ler mais e mais!! Q Deus te abençoe e q voc prossiga com seu trabalho tão excelente que é!! Um Beijo Grande.. Ryann Castro 6ªA..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, Ryann. Volte sempre com os seus comentários. Contribuem para o bom debate. Abração.

      Excluir

Os comentários são de responsabilidade única dos seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião do blog.