domingo, 7 de julho de 2013

O “abençoado” feijão do domingo

O post de hoje foi patrocinado. Infelizmente, por mim…

Tem uma coisa que me incomoda no município onde eu moro: os supermercados não abrem aos domingos. Daí se o imprevisto acontece, você se vê obrigado a passar por situações, como a que passei hoje.

Tudo pronto para fazer o feijão do almoço. Panela de pressão já com água no fogo e temperos verdes (salsa desidratada e folhinhas de louro). Costelinha salgada e lombo, na fervura à parte, para retirar o grosso do sal. E aí você abre a lata e descobre que não tem feijão!

Um frio na espinha inevitável. Por ser domingo, tudo fechado! Peço ao meu filho para procurar por aí, no pequeno comércio que estivesse aberto. E lá foi ele, prontamente, cumprir a missão.

Cumpriu, mas acabou me dando o assunto do post de hoje: trouxe o pior feijão que eu já comprei na vida! Paguei sete reais por isso:

DSC01619

Alguém pode me dizer se esse feijão é feijão preto? Tenho dúvidas…

Após meia hora de exaustivo trabalho de catação de grãos, eis o resultado:

DSC01620

Nem pude ser eficiente na minha coleta. Perderia todo o material!

Fico pensando sobre o controle de qualidade que deveria ser feito, no que é colocado à venda. Neste caso, desconfio que não houve.

O produto tem nome: “APETITE”. Nunca vi tão impróprio! Soa até como deboche…

DSC01618

Reparei na parte inferior da embalagem: tipo – FORA DE TIPO! Na minha opinião, deveria ser Tipo FORA DE CIRCULAÇÃO!

Nos tempos atuais, não há mais espaço para produtos de qualidade tão inferior, no mercado. Os consumidores não são bobos. Não estamos querendo comprar gato por lebre!

A quem se destina este feijão? Será que existe alguma camada da população brasileira que pague um preço alto (sete reais!) por um produto deste nível? Duvido muito.

O fato é que eu, pessoalmente, não o teria comprado. Mas é fato também, que eu acabei pagando por ele. Portanto, tenho direito de mostrar a minha indignação. Afinal vivemos tempos de liberdade para manifestar contra o que está errado! E este feijão é uma vergonha para a cultura nacional.

Só resta saber, como ficará depois de pronto. Eu conto para vocês.

(Se os supermercados abrissem aos domingos, isso não teria acontecido…)

4 comentários:

  1. KKK, hoje tbm cozinhei meu feijão da semana, e com linguiça Sadia, como coloquei no post. bem o que comprei foi uma das melhores marcas que circulam no estado a combrasil... claro que li o post vi que vc foi pega de surpresa pelo fato de não ter condições a não ser usar o apelo da condição ao se submeter a um produto tão ruim, mas se quer saber acredito eu que esse tipo de feijão circula sim e ele vem em cestas básicas distribuídas pelo governo a pessoas de baixíssima renda. O meu ficou uma delicia... mas se a conheço bem vc tbm fez um milagre e salvou o dia com sua paciência e dedicação.

    Abraço e melhores feijões da próxima vez...rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, meu amigo. Eu também uso o ótimo COMBRASIL!!! Deixa até a gente mal acostumado, né? Mas se é assim como você diz, alguém com VOZ precisa denunciar essa farsa alimentícia. Que sejamos nós! Nenhum brasileiro merece passar por isso, no país do feijão! Um bom almoço para todos nós, que temos comida na mesa, apesar dos pesares...

      Excluir
  2. Aqui em Arapiraca- Al, o feijão preto custa em média R$ 3,00 a R$ 4,00, mas o caro mesmo é4 tal do feijão de corda verde (prato do dia hj), que ganhei de um sitiante, mas que chega aos sete ou oito reais o "litro", que na verdade não é um litro (lata de óleo vazia)isso dependendo do clima do mês, mas hoje tem, e acompanhado com uma carne de sol feita pela patroa, a melhor do nordeste.
    Sou privilegiado !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dia ainda hei de provar! Deve ser uma delícia.

      Excluir

Os comentários são de responsabilidade única dos seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião do blog.