domingo, 11 de agosto de 2019

PAI e pai

Existe o Sol e existe a Lua, o claro e o escuro, o perto e o longe, o sim e o não. Existe, da mesma forma, o PAI e o pai. E hoje é o dia de apenas um deles…


Há alguns dias, tive o prazer de conhecer pessoalmente um grande exemplo de PAI, o Dr. Alexandre Martins de Castro. Já o conhecia da mídia, pois acompanhei sua dor e luta em busca dos algozes do seu querido filho, abruptamente retirado do nosso meio, ainda jovem, o Juiz e Professor Alexandre de Castro Martins Filho. Recebi desse PAI o convite para participar de um singelo, mas significativo evento em memória do seu filho, pela passagem da data do seu aniversário.

Porque há coisas – e pessoas – que não podem ser esquecidas…


O evento aconteceu na praça Agenor Moreira, em Itapoã, onde já existe um  Memorial em Homenagem ao Juiz Alexandre Martins, e contou com a presença e participação de autoridades, como o Secretário de Educação de Vila Velha, Professor Roberto Beling, a Secretária de Assistência Social, Dra. Ana Cláudia Simões, entre outras.

Na oportunidade, foi feita uma linda reflexão em forma de oração ecumênica, pelo pastor Márcio Vieira, que emocionou a todos os presentes.


Mas foram as palavras daquele PAI, durante a celebração que tocaram em cheio o meu coração! Porque elas estavam carregadas de sentimentos verdadeiros e atitudes. 


Porque um PAI, que é PAI, não é só palavra dita, é AÇÃO, é DEDICAÇÃO! Um homem que não deixa morrer a memória e a luta do seu filho! A essa causa dedica a sua vida!

Dr. Alexandre é sem dúvida um PAI, que hoje merece a nossa homenagem.

Entretanto é importante ressaltar que não é preciso perder um filho vitimado pela violência para se tornar verdadeiramente PAI. Não é a condição em si que determina a qualidade da paternidade. Muitos homens poderiam ter passado pela mesma situação e não ter agido da mesma forma…

PAIS e pais. HOMENS e homens. Tal como Sol e Lua, sim e não…

Conheço, felizmente, grandes PAIS, como Dr. Alexandre. Mas conheço, também, por desventura, pais… Sinto dizer, quase a maioria.

Como trabalho, há anos, em ambiente escolar, lido com muitos filhos sem pais. Ausentes e, acreditem, presentes (fisicamente). A distância dos pais causa sofrimento. Já disse em outra oportunidade, que antes um pai mais ou menos, do que pai nenhum. Reitero.

Dia dos Pais é dia difícil para muita gente. Para mim, é, confesso.

Feliz dia, Dr. Alexandre! Sinta-se abraçado por todos aqueles filhos que gostariam de tê-lo como PAI. E olha que é muita gente… Receba o meu particular e carinhoso abraço.

Feliz dia, PAIS! Vocês que são AÇÃO, INTENÇÃO, DEDICAÇÃO, PRESENÇA ATIVA, PARTICIPAÇÃO e AMOR INCONDICIONAL na vida dos filhos.

Feliz dia, meu PAI-drasto Jorge!

E para os pais, apenas doadores de carga genética, um sinto muito, muito sentido, um lamento até! Porque perderam a chance de viver a mais maravilhosa de todas as aventuras: conviver - acompanhar de perto a vida dos seus filhos: ensiná-los, aprender com eles, mas, acima de tudo, vivenciar o amor verdadeiro. 


Saudades eternas do meu PAI Luiz Carlos.

2 comentários:

  1. Parabéns por sua sensibilidade!!👏👏👏 você escreve lindo .❤❤❤❤

    ResponderExcluir
  2. Cara Denise,
    Há momentos em que nossa felicidade é tão grande que poderíamos morrer por eles.
    Suas palavras trouxeram-me um desses momentos.
    Mas não mereço todas suas palavras. Procuro fazer o que sei que meu filho faria por mim, se a vítima fosse eu.
    Defender a memória dele, continuar a luta dele contra o crime organizado, perseguir a condenação de seus assassinos, sem me intimidar nem esmorecer é um mínimo tributo que devo a meu filho, ele sim um herói de nosso Estado.
    Agradecido e cumprimentando-a, envio um abraço a seu PAI/drasto e a seu pai “in memoriam”.

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade única dos seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião do blog.